Incêndio em reserva ambiental completa 15 dias em Rondônia

Por Gedeon Miranda, Rede Amazônica

O incêndio de grandes proporções que atinge a reserva ambiental Margarida Alves completa 15 dias neste domingo (11) em Nova União (RO), a 370 quilômetros de Porto Velho.

Desde o fim de julho, segundo os Bombeiros, pelo menos 1 mil hectares da reserva foram destruídos pelo fogo, além da pastagem em sítios vizinhos.

Imagens de satélite, feitas nesta semana, mostram a área onde o incêndio segue sem controle em Nova União.

Incêndio em Nova União (RO) nesta semana — Foto: Planet Labs

Com o fogo na área de reserva, produtores rurais vizinhos buscam alternativas para não deixar o gado morrer de fome, pois algumas propriedades já foram atingidas pelas chamas.

“Tenho quase 60 cabeças e eles sobrevivem só com o pouco de capim que sobrou, que só está mesmo a bucha. Estou comprando material, como quirela, para alimentar o gado e ver se eles aguentam um pouco mais. Não há pasto aqui por perto para levar eles”, relata Paulo Sérgio Machado.

A pecuarista Judite Viana Siqueira também está preocupada com os bovinos da propriedade. Parte da pastagem do sítio já foi destruída pelo incêndio na área da reserva.

Pastagens perto de área da reserva já foram destruídas — Foto: Rede Amazônica/Reprodução

“O capim para o gado só tem em uma pequena área . Estou comprando ração para o gado não morrer de fome”, afirma.

Equipes da Polícia Militar (PM) e Corpo de Bombeiros estão monitorando a área do incêndio na reserva ambiental.

“Tivemos a informação de 153 focos de calor desde o início da semana. No percurso que caminhamos, toda área está completamente queimada”, diz o capitão do Corpo de Bombeiros de JI-Paraná, José Aparecido Santos.

Produtores veem, de longe, chamas dentro de reserva em Nova União — Foto: Rede Amazônica/Reprodução

Reserva Margarida Alves

A reserva ambiental Margarida Alves tem uma área de mais de 10 mil hectares e é uma das maiores da região central do estado. Há um ano, a região ambiental também foi atingida por um incêndio. O incêndio durou mais de 10 dias

Em maio deste ano, a Justiça Federal reintegrou o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) na posse da reserva em Bloco Margarida Alves.

A reintegração aconteceu justamente porque a região é alvo constante invasões, desmatamentos, marcações e acampamentos no entorno da reserva ambiental