Morre Niki Lauda, lenda da Fórmula 1, aos 70 anos

Por OGlobo

Niki Lauda em foto recente em Viena Foto: Leonhard Foeger/REUTERS

Único piloto campeão mundial pela Ferrari e McLaren, o austríaco Niki Lauda, lenda da Fórmula 1, morreu nesta segunda-feira, aos 70 anos. No início do ano, o ex-piloto teve uma gripe forte após fazer um transplante de pulmão e vinha fazendo hemodiálise. Na carreira, Lauda foi campeão 1975, 1977 e em 1984. As duas primeiras pela Ferrari e a última, pela McLaren. A aposentadoria aconteceu em 1985.

– Com profunda tristeza, anunciamos que nosso amado Niki morreu pacificamente com sua família na segunda-feira, 20 de maio de 2019. Suas realizações únicas como atleta e empreendedor são e permanecerão inesquecíveis; seu incansável entusiasmo pela ação, sua franqueza e sua coragem permanecem um modelo e uma referência para todos nós. Era um marido amoroso e atencioso, pai e avô longe do público, que sentirá sua falta  – diz o e-mail assinado com a família de Lauda.

– O jornalista Celso Itiberê, especializado em Fórmula 1, lamentou a morte da lenda austríaca:

—Niki Lauda foi um dos grandes nomes do automobilismo. Imagine que ele depois do terrível acidente de Nurburgring em 1976 voltou a correr com chances de ser campeão. Só não o foi porque choveu na última prova e ele, como não estava nas melhores condições físicas, decidiu parar o carro em vez de correr outro risco de acidente.

Em 1997 e 2005, o austríaco havia feito transplante de rim.

Em 1976, Lauda sofreu o acidente que lhe desfigurou o rosto em Nurburgring, na Alemanha, quando ficou preso às ferragens. Mas não apenas voltou a correr terminou naquele mesmo ano, como ficou em segundo lugar. E só perdeu o título no último GP, no Japão.